segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Era uma igreja muito engraçada...




...não tinha teto, não tinha nada.


Essa noite, eu tive um sonho de sonhador, sonhei com uma igreja esquisita. Ela não tinha muros, piso, púlpito, bancos ou aparelhagem de som. A igreja era só as pessoas. E as pessoas não tinham títulos ou cargos, ninguém era chamado de líder, pois a igreja tinha só um líder, o Messias. Ninguém era chamado de mestre, pois todos eram membros da mesma família e tinham só um Mestre. Tampouco alguém era chamado de pastor, apóstolo, bispo, diácono ou Irmão. Todos eram conhecidos pelos nomes, Maria, Pedro, Afonso, Julia, Ricardo...


Todos os que criam pensavam e sentiam do mesmo modo. Não que não houvesse ênfases diferentes, pois Paulo dizia: “Vocês são salvos por meio da fé. Isso não vem das obras, para que ninguém se glorie”, enquanto Tiago dizia: “A pessoa é aceita por Deus por meio das suas obras e não somente pela fé”. Mas, mesmo assim, havia amor, entendimento e compreensão entre as pessoas e suas muitas ênfases.

Não havia teólogos nem cursos bíblicos, nem era necessário que ninguém ensinasse, pois o Espírito ensinava a todos e cada um compartilhava o que aprendia com o restante. E foi dessa forma que o Agenor, advogado, aprendeu mais sobre amor e perdão com Dinorá, faxineira.


Não havia gente rica em meio a igreja, pois ninguém possuía nada. Todos repartiam uns com os outros as coisas que estavam em seu poder de acordo com os recursos e necessidades de cada um. Assim, César que era empresário, não gastava consigo e com sua família mais do que Coutinho, ajudante de pedreiro. Assim todos viviam, trabalhavam e cresciam, estando constantemente ligados pelo vínculo do amor, que era o maior valor que tinham entre eles.


Quando eu perguntei sobre o horário de culto, Marcelo não soube me responder e disse que o culto não começava nem acabava. Deus era constantemente cultuado nas vidas de cada membro da igreja. Mas ele me disse que a igreja normalmente se reunia esporadicamente, pelo menos uma vez por semana em que a maioria podia estar presente. Normalmente era um churrasco feito no sítio do Horácio e da Paula, mas no sábado em que eu participei, foi uma macarronada com frango na casa da Filomena. As pessoas iam chegando e todos comiam e bebiam o suficiente.

Depois de todos satisfeitos, Paulo, bem desafinado, começou a cantar uma canção. Era um samba que falava de sua alegria de estar vivo e de sua gratidão a Deus. Maurício acompanhou no cavaquinho e todos cantaram juntos. Afonso quis orar agradecendo a Deus e orou. Patrícia e Bela compartilharam suas interpretações sobre um trecho do evangelho que estavam lendo juntas. Depois foi a vez de Sueli puxar uma canção. Era um bolero triste, falando das saudades que sentia do marido que havia falecido há pouco tempo. Todos cantaram e choraram com ela. Dessa vez foi Tiago que orou. Outras canções, orações, hinos e palavras foram ditas e todas para edificação da igreja.

Quando o sol estava se pondo, Filomena trouxe um enorme pão italiano e um tonelzinho com um vinho que a família dela produzia. O ápice da reunião havia chegado, pela primeira vez o silêncio tomou conta do lugar. Todos partiram o pão, encheram os copos de vinho e os olhos de lágrimas. Alguns abraçados, outros encurvados, todos beberam e comeram em memória de Cristo.

Acordei com um padre da Inquisição batendo à minha porta. Junto dele estavam pastores, bispos, policiais, presidentes, ditadores, homens ricos e um mandado de busca. Disseram que houvera uma denúncia e que havia indícios de que eu era parte de um complô anarquista para acabar com a religião. Acusaram-me de freqüentar uma igreja sem líderes, doutrina ou hierarquia; me ameaçaram e falaram: “Ninguém vai nos derrubar!”. Expliquei: “Vocês estão enganados, não fui a lugar nenhum, não encontrei ninguém ou participei de nada... aquela é apenas a igreja dos meus sonhos”.

por: Tonho [foi coordenador do UG -Min. Jovem do Portas Abertas]
texto e foto retirados do blog http://pavablog.blogspot.com

Theo Pimenta

14 comentários:

  1. Theo...que pena que é apenas um sonho...mas como são de utopias que o evangelho é feito, vivamos nesta utopia então.

    Com sua licença, vou postar em meu blog tb, com os devidos créditos.

    Um grande abraço.

    Olavo

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre disse: "A igreja será A MAIS graciosa quando for A MAIS perceguida"! não sei se sou mais feliz hj com a igreja BEM "lIVRE" ou serei no futuro!

    ResponderExcluir
  3. Um dia viveremos assim, eu creio.

    ResponderExcluir
  4. Se me permite, gostaria de inserir este texto no meu blog também..

    Abraços

    ResponderExcluir
  5. Hey Theo, bendito...que boas postagens!!!Olha, eu vivo com a minha família na Austrália e, aqui na minha casa, nós temos uma reunião bastante informal e bem parecida com essa "igreja muito engraçada" do sonho. E vc sabe que algumas vezes aparecem umas pessoas com a intenção de transformar o grupo numa igreja inclusive oferecendo pastores, ou se oferendo para pastorear e, é claro, como não concordamos, somos tidos como rebeldes e todas aquelas baboseiras mais que vc já deve saber, né?Rss
    Cada um dos integrantes, tem até frequentado uma igreja(intituição), mas como o negócio aqui tá passando de morno pra frio, a gente tem se sentido muito mais abençoados quando nos unimos num louvor e adoração sem ensaios, mas espontâneo e extravagante de tão simples que é...uma igreja muito engraçada!!!
    Posso postar no meu blog tbm,com os devidos créditos, é claro?
    Deus te abençoe, um abraço.

    ResponderExcluir
  6. Gostei do seu blog, vi pelo twitter.
    Me incentivou a voltar a escrever sobre o evangelho.
    Fique com Deus.

    Att.

    Nathanael Baldez

    ResponderExcluir
  7. Theó, show, hoje este é o único tipo de texto que consegue retirar lágrimas de meus olhos.

    Vai para meu blog, rsrs (com a fonte é claro, rsrs).

    Abraços.

    http://evaldocristao.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Que sonho gostoso!!
    sem mais!
    so esperando esse dia chegar!

    ResponderExcluir
  9. Querido muito engraçada mesmo, aliás muito parecida com a igreja primitiva.A igreja do seu sonho,poderia ser a mesma que os apostolos fundaram, só que vc nao pode esquecer que a biblia diz que deus deu a sua igreja-pastores,apostolos,mestres,doutores,profetas.Foi ele que deu.Paulo é bem claro.Nem tudo que gostamos é o que DEUS quer.No mais conte comigo tambem,para transformarmos essa igreja inrrelevante, religiosa,que poco tem do verdadeiro cristianismo.
    dinah.

    ResponderExcluir
  10. Muito bom o texto! Mas o principal da ideia nele exposta, a meu ver, é pensarmos sobre como nos relacionar com os irmãos e com Deus. Precisamos voltar a ser autênticos e espontâneos na nossa adoração! Precisamos voltar a ser crianças! Precisamos cultivar relacionamentos sincerros com os irmãos sem máscara. O pequeno grupo possibilita isso e hoje não concebo uma vida cristã sem procurarmos amigos com os quais não apenas nos reunimos, mas buscamos a Deus, compartilhamos nossas vidas e verdadeiramene amamos. Contudo, a vida cristã não é estática e estamos sempre vivendo novas situações. Uma reunião pode ser alegre cheia de louvor e de confraternização. Outra pode ser cheia de sonolência e fadiga após um dia desgastante. Um dia faz calor e ouro frio. Pessoas vêm e pessoas vão. Um parte para o Senhor e um novo convertido se aproxima precisando ser acolhido e compreendido mesmo com suas dificuldades. O pequeno grupo, no decorrer do tempo, torna-se uma fantástica experiência, mas as pessoas não podem jamais se fechar. É importante falar de Jesus para outras, incluir ali idosos, deficientes, crianças, homens e mulheres ou do contrário estaremos vivendo uma vida cristã restrita. Quando leio Atos, lembro das refeições em grupo que os cristãos primitivos faziam nas casas. Lembro também que fizeram missões pelo mundo e homens morreram pela fé. Será que hoje teríamos a mesma coragem de Pedro, João, Estevão, Felipe, Tiago, Barnabé, Paulo ou Silas? Quantos hoje em dia teriam coragem de evengelizar em Angola sabendo que repentinamente pode ser alvejado por tiros por rebeldes pelo simples fato de ser um estrangeiro naquele país? Ainda assim, se eu distribuir todos os meus poucos bens materiais aos pobres ou entregasse o próprio corpo para ser queimado, nada disso me aproveitaria, "se não tiver amor", de modo que retornamos à questão relacional. Muito legal quando o texto quando fala da Ceia, o que, a meu ver, expressa adequadamente qual deve ser o contexto da comunhão uns com os outros. Reparem que a pequena congregação de amigos, em meio ao almoço, teve seus momentos de louvor, oração, compartilharam suas impressões sobre textos bíblicos, souberam ouvir a irmã e, finalmente, ceiaram.

    ResponderExcluir
  11. Excelente texto mano, por tudo isso os dons são diversos, uns tem dom de apóstolos,outros de profetas, outros de pastores, outros de mestres...
    Tudo isso para que na igreja nunca tivessem cargos, mas tão somente servos para a edificação mútua. Parabéns pelo excelente serviço que está fazendo aqui, já me tornei seguidor. Forte abraço. A Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo é contigo.

    ResponderExcluir
  12. Creio que estamos no caminho,na verdade,alguns poucos vão compreendendo a vontade de Jesus através do evangelho,quando transmitido em sua simplicidade e eficiência,sempre que posso compartilho com os meus amigos.que bom encontrar esse espaço,Deus os abençoe mais e mais.Em Cristo,grande beijo.

    ResponderExcluir

Queremos ouvir o que você pensa. Escreva, comente, questione, concorde ou discorde. Vamos juntos pensar sobre a grandeza do Evangelho.